3 dicas para acabar com a dor de cabeça causada pelo vinho

Há quem não consiga beber vinho tinto porque lhe causa dor de cabeça. Outros se queixam do vinho branco ou espumante. Para todos aqueles que ficam com dores de cabeça, Madeline Puckette, redatora do Wine Folly, dá uma série de dicas para acabar com esse sofrimento, além de tentar desmistificar alguns dos mitos mais famosos relacionados com a ingestão de vinho.

  Mas antes, esta apaixonada por vinho, comida e viagens explica que as dores de cabeça surgem sobretudo quando se trata de “vinhos de baixa qualidade”, pois “tendem a ter mais adulteração” com açúcar, enxofre e outros agentes para os tornar mais saborosos.
 

DICAS PARA EVITAR DORES DE CABEÇA:

1. Beba um copo de água entre cada copo de vinho.

  O erro mais comum de quem bebe vinho é não fazer a hidratação. É fácil se esquecer de tomar um copo d'água enquanto se bebe vinho, mas lembre-se que é importante.

Alerte o garçom para ajudá-lo a lembrar-se, servindo-lhe água permanentemente.


2. Tome duas Aspirinas antes de começar a beber.

Aspirina, ibuprofeno ou paracetamol não são recomendados para quem bebe muito. Mas, se é daqueles que bebe pouco, um ou dois copos de vinho, esta é a forma de evitar dores de cabeça mais tarde. Tanto mais que o obriga à ingestão de água. Para Madeline Puckette, esta é uma forma eficaz de atenuar o efeito do álcool no sangue.

No entanto, ela alerta que, não sendo médica, é preferível consultar primeiro um especialista ou pular diretamente para a terceira dica.

  Vino Emporium reforça: evite a ingestão de medicamentos e bebidas alcoólicas!


3. Evite comer coisas doces com vinho.

Pior que uma dor de cabeça provocada por vinho tinto é uma dor de cabeça provocada por doce e vinho tinto. Um bolo recheado até pode ser melhor depois de um copo de vinho, mas saiba que a “combinação de açúcar e álcool vai agravar consideravelmente o potencial para uma dor de cabeça.”

  Se você é sensível ao vinho, reserve o bolo para o momento do café.

 

O QUE CAUSA A DOR DE CABEÇA PROVACADA PELO VINHO?

Madeline Puckette diz que quando começou a tomar vinho, passou a ter muitas dores de cabeça. Talvez suas escolhas para vinhos não foram as melhores, já que comprava vinhos de baixa qualidade, vendidos em supermercados, que tendem a não ter um rigor em sua fabricação, resultando em alto grau de açúcar residual, enxofre ou alcóol superior ao esperado.

  Vino Emporium explica: os EUA ainda estão conquintando patamares de excelência em controle de qualidade da produção de seus vinhos e vinhedos. Há vários relatos na mída sobre a má qualidade dos vinhos comercializados, especialmente aqueles voltados para o dia a dia da população.

Post relacionado: Viticultores da Califórnia negam produzir vinho com alto nivel de arsênico


MITO: Sulfitos no vinho provocam dores de cabeça
Na década de 1980, estudos sobre comidas e administração de medicamentos descobriram que cerca de 1% da população é alérgica a sulfitos. Assim, estabeleceu-se que vinhos acima de 20 ppm (partes por milhão) devem ser rotulados com "contém sulfitos".

  Os sulfitos são encontrados naturalmente em uvas, e enxofre também é adicionado geralmente em pequenas quantidades, no início da fermentação e antes do engarrafamento.

Normalmente os vinhos tintos têm cerca de 50-350 ppm, e vinhos brancos têm mais, cerca de 250-450 ppm (por causa da extrema sensibilidade à luz, ao calor e descoloração).

O teste decisivo para a sensibilidade geral aos sulfitos está nos frutos secos. Mangas e damascos contêm cerca de 4-10 vezes mais (1000-3000 ppm) sulfitos.


FATO: Histaminas causam inflamação
Dr. Freitag da Diamond Headache Clinic, em Chicago – EUA, originalmente escreveu um artigo sobre como os histamínicos podem ser os culpados em causar dores de cabeça pela ingestão de vinho tinto. Os alimentos que foram fermentados ou envelhecidos têm maiores níveis de histaminas, tais como tofu, champanhe, vinho tinto, ketchup e carnes envelhecidas.

  Histamínicos podem causar rubor inflamatório e insônia durante a noite. Como a maioria dos histamínicos são uma causa de reações alérgicas, tomando um anti-histamínico antes de beber pode resolver o problema. Um antigo procedimento de cura chinesa indica chá preto para reduzir inchaços.


TEORIA: Sensibilidade a Taninos
Tanino é o que dá a cor (pigmento) ao vinho tinto, amargura e sensação de boca seca. É ele também o responsável por tornar os vinhos tintos duráveis um longo tempo (em alguns casos, por décadas). Muitos sofrem de dor de cabeça causada pelo vinho tinto e apontam o tanino como o problema, porque os vinhos brancos contêm muito menos e não causam o incômodo.

O tanino vem das cascas, sementes e caules da uva e também de madeira – quando envelhecidos em barris. Muitos vinhos comerciais também adicionam taninos a partir de fontes comerciais, refinados de castanha, groselha indiana e da madeira de uma árvore espanhola muito densa chamada Quebracho.

  O problema com o argumento do tanino é que o chocolate, chá e soja também são muito ricos em taninos e por isso levanta a questão: "Se você não reagir ao tanino do chá, por que você iria reagir ao tanino do vinho?"


TEORIA: Aumento dos níveis de tiramina
Tiramina como uma enzima isolada é uma grande dor de cabeça – principalmente para as pessoas que sofrem de enxaquecas. A enzima é conhecida por provocar o estreitamento dos vasos sanguíneos.

  No entanto, até quanto a tiramina pode ser a culpada, uma vez que ela está presente também em outros alimentos, como queijo envelhecido, presunto, iogurte, molho de soja, feijão, pasta de camarão, coco, fermento, bananas, framboesas, amendoim, abacaxi, abacate, berinjela e outros.
 

NOTA: As reações alérgicas ao álcool ou ao fermento
As pessoas com maior sensibilidade ao álcool e leveduras devem ter cuidado com o vinho porque ele contém ambos. Por que harmonizar seu vinho com queijos e pão, se você está tentando manter uma baixa ingestão de leveduras?

  Teste suas teorias com cuidado e não culpe tão rápido o vinho quando você não está bebendo a quatidade de água suficiente.


Fonte: Wine Folly (http://vinhos.me/LaTG4)
Por Madeline Puckette. Foto: Divulgação

OBS.: Traduzido pela Equipe do Vino Emporium.


Comentários