Dupla faz volta ao mundo temática provando vinhos em 92 países
Dupla faz volta ao mundo temática provando vinhos em 92 países
Dupla faz volta ao mundo temática provando vinhos em 92 países
Dupla faz volta ao mundo temática provando vinhos em 92 países
Franceses pretendem visitar todos os países produtores de vinho do mundo. Ideia é fazer inventário global da bebida; eles acabam de passar pelo Brasil.

Dois franceses estão dando a volta ao mundo com um objetivo tão ambicioso quanto invejável: visitar todos os países produtores de vinho do planeta. E, é claro, provar a bebida em todos esses lugares.

Jean-Baptiste Ancelot, de 29 anos, e Ludovic Pollet, de 27, partiram em janeiro de 2014 para a jornada de três anos por 92 países, na qual devem visitar 1.500 vinícolas e provar mais de 15 mil vinhos diferentes. O projeto foi batizado de Wine Explorers (exploradores do vinho) e já passou por 23 países. O primeiro ano de viagem foi encerrado no Brasil, de onde acabam de partir, após passar três semanas.

  A ideia deles é fazer um “inventário” global do vinho e lançar livros sobre o tema quando tiverem completado todos os destinos. Enquanto isso, narram a viagem em tempo real em sua página no Facebook e em um blog.

Com mestrado em administração do mercado de vinhos, Jean-Baptiste trabalhou por alguns anos como diretor de exportações de vinícolas na França, em Zurique, Hong Kong e Nova York. Quando planejava a viagem, decidiu chamar Ludovic, que é fotógrafo e câmera, e com quem tinha amigos em comum. “Eu não queria mais uma pessoa especializada em vinhos. Queria alguém sensível, que representasse o lado do consumidor. São dois pontos de vista que se complementam”, conta.

Eles viajam, em média, durante três meses seguidos dentro de um mesmo continente. Depois voltam para a França por 15 dias, para tirar os vistos e planejar o necessário para a fase seguinte da viagem.


Vinhos brasileiros

No itinerário, os "exploradores" incluíram tanto países com fama consagrada na área – como Itália, África do Sul e sua terra natal, a França – quanto outros considerados “exóticos”, como Etiópia e Namíbia. O Brasil se inclui neste segundo grupo. “Na Europa, quando pensamos no Brasil, pensamos em futebol, em samba, mas não se fala de vinho”, diz Jean-Baptiste.

Por aqui, os dois franceses passaram um tempo na Serra Gaúcha, especialmente no Vale dos Vinhedos, visitando vinícolas e participando de degustações.

Dizem que ficaram surpresos com o que encontraram. “Vimos que há toda uma indústria vinícola e provamos alguns vinhos de alta qualidade. Não só espumantes [pelos quais o Brasil é mais conhecido], mas provamos alguns tintos 'top' também”, afirma.

Para ele, o solo brasileiro tem um potencial que lembra o do norte da Itália. Sua ideia é voltar ao Brasil dentro de alguns anos, para acompanhar o desenvolvimento do mercado. "Queremos encontrar de novo as pessoas, ver como o vinho brasileiro evoluiu. Acho que tem muito potencial", diz.


19 vinhos em uma manhã

A preferência dos dois é por se hospedarem em casas de pessoas locais ou nas próprias vinícolas. Além de visitar esses locais de cultivo e de participar de degustações em restaurantes e espaços especializados, eles gostam de conversar com sommeliers e outros especialistas para entender melhor o universo de vinho em cada lugar.

Mas dizem que a rotina não é só beber vinho e visitar lugares bonitos. “Cada dia é uma aventura. Tem vez que não sabemos onde vamos dormir. E lembre-se de que cada um carrega mais de 40 kg de bagagem. Viajamos de forma bem intensa”, afirma Jean-Baptiste.

Eles já chegaram a provar 19 vinhos diferentes em apenas uma manhã – foi na África do Sul, em uma degustação que começou às 8h. Na maioria das vezes, aliás, eles não engolem a bebida, mas cospem depois de tomá-la.

“Não bebemos vinho todo dia. Quando você ama algo, não deve fazer diariamente, ou deixa de ser uma paixão e vira uma obrigação”, diz.

Eles também afirmam que que adoram uma cerveja gelada de vez em quando e que têm “boas memórias de caipirinhas de maracujá e caju”.

O projeto tem alguns patrocinadores ligados ao mundo do vinho, que custeiam cerca de um terço da jornada. De tempos em tempos, os dois procuram novos parceiros para custear o restante da viagem. Mas eles garantem que vão finalizá-la de qualquer maneira. “Somos os primeiros a fazermos esse inventário global de todos os países produtores de vinho. E estamos falando de uma bebida que une as pessoas no mundo todo. Quando estou desanimado, penso nisso. É o que me dá energia para continuar”, diz Jean-Baptiste.


Fonte: G1 - Turismo e Viagem (http://g1.globo.com/turismo-e-viagem/noticia/2014/12/dupla-faz-volta-ao-mundo-tematica-provando-vinhos-em-92-paises.html)
Por Flávia Mantovani. Fotos: Wine Explorers

Comentários