Villaggio Bonucci Vinhas & Vinhos
Villaggio Bonucci Vinhas & Vinhos
Galpão de produção
Galpão de produção
Victor Carlos Bonucci, o proprietário
Victor Carlos Bonucci, o proprietário
Tanques de polipropileno
Tanques de polipropileno
Máquinas para engarrafamento
Máquinas para engarrafamento
Máquina de engarrafamento
Máquina de engarrafamento
Adega
Adega
Vino Emporium visita a Villaggio Bonucci Vinhas & Vinhos
Vinhos da Casa
Vinhos da Casa
Restaurante
Restaurante
Vino Emporium visita a Villaggio Bonucci Vinhas & Vinhos
Restaurante
Restaurante
Vino Emporium visita a Villaggio Bonucci Vinhas & Vinhos
Chef Celia Bonucci
Chef Celia Bonucci
Vino Emporium visita a Villaggio Bonucci Vinhas & Vinhos
Vino Emporium visita a Villaggio Bonucci Vinhas & Vinhos
Vino Emporium visita a Villaggio Bonucci Vinhas & Vinhos
Mangueira centenária
Mangueira centenária
Vino Emporium visita a Villaggio Bonucci Vinhas & Vinhos
Ruínas
Ruínas
Vino Emporium visita a Villaggio Bonucci Vinhas & Vinhos
Vinhedos
Vinhedos
Vino Emporium visita a Villaggio Bonucci Vinhas & Vinhos

O post de hoje é sobre a visita que fizemos à vinícola Villaggio Bonucci Vinhas & Vinhos.
Localizada no Distrito de Água Vermelha, em São Carlos, interior de São Paulo, a 856 metros de altitude, a vinícola ocupa uma área de 2,4 hectares, e está sob o comando de Victor Carlos Bonucci, engenheiro de formação.
Victor herdou o sítio de seu pai, que no passado plantava café na propriedade, e de posse das terras deu asas ao seu sonho: plantar videiras para produção de vinhos finos.
Estagiou no Rio Grande do Sul, na Vinícola Larentis, hoje sua parceira comercial, para aprimorar seus parreirais, cujas as castas primeiramente plantadas foram a Syrah, a Cabernet Sauvignon e a Merlot. Porém a Merlot não se adaptou devidamente, o que o fez procurar novas soluções para não perder totalmente essa plantação, trazendo então do sul da Itália as castas Sangiovese, Montepulciano e Trebbiano, que foram plantadas no fundo da propriedade, e no momento que atingirem a maturação serem enxertadas na Merlot, como experimento.
Segundo o proprietário, os planos a médio e longo prazo para a vinícola é investir na produção de suco de uva.

Dados climáticos
- Clima tropical de altitude, com inverno seco e temperaturas que variam de 15 a 27º C no ano;
- Terreno arenoso e com baixo teor de argila, o que facilita a drenagem e evita o empossamento de água;
- Ensolação chega a 2.300 horas por ano (superior à Serra Gaúcha, por exemplo, que atinge 1.800 h/ano).

O Vinho
Bonucci define seu vinho como sendo artesanal, pois é feito com uvas finas. Ao contrário do sul, que seria chamado de vinho colonial, feito com uvas americanas.
Ele próprio conduz o grupo até o galpão de produção para explanar sobre o método empregado na elaboração de seus vinhos.
Nas fotos é possível acompanhar os tanques de fermentação em aço inoxidável, onde são acrescentadas as leveduras selecionadas ao mosto, e depois os tanques de polipropileno, onde o vinho descansa por meses, bem como os demais equipamentos para engarrafamento.

O Restaurante
Aos domingos a vinícola dispõe de um restaurante, cujo o comando fica a cargo da chef Celia Bonucci.
E ao que pudemos avaliar, o atendimento é excepcional, com ambiente familiar e espaço adaptado para receber crianças pequenas, contando com cadeirão, trocador no banheiro feminino e até com um cesto de brinquedos para os pequenos se divertirem embaixo de uma mangueira centenária.
Diferentemente de outros restaurantes, não existe uma grande variedade no cardápio, cuja a apresentação no dia consistiu em: a entrada (uma ilha de antepastos e saladas), o almoço (arroz, duas massas e um tipo de carne), a sobremesa e o café.
Mas podemos lhes garantir que o tempero é excelente e o serviço idem. Quanto às bebidas, os visitantes escolhem desde água, refrigerantes, suco de uva e a carta de vinho.
O almoço tem um custo de R$ 48,00 por pessoa + bebidas.

A degustação
Na ocasião, não havia garrafa de 750 ml do vinho da Casa, então optamos por um Pinotage da Larentis – Larentis Pinotage 2013 –, a princípio em temperatura ambiente, pois o garçom nos informou que a outra garrafa estaria refrigerada em geladeira.
Não estava um domingo tão quente, deveria estar marcando uns 27º C, mas o sabor do vinho não nos pareceu adequado, assim pedimos um balde com gelo, a fim de chegá-lo na temperatura de serviço, mas na verdade, o mesmo foi evoluindo para pior, o que nos frustou bastante.
Este vinho deixava uma forte sensação de acidez na língua, sentimos ainda um álcool pronunciado e um amargor. Sensações incomuns para um vinho da casta Pinotage, normalmente fácil de beber, por ser leve.
  Infelizmente não nos foi ofertada uma degustação, o que nos impediu avaliar os vinhos da Villaggio Bonucci, que também até o fechamento deste post não havia nos encaminhado as fichas técnicas dos vinhos para publicação.

Fonte: Equipe Vino Emporium. Vinícola visitada em 07.02.2016
Fotos: Vino Emporium/Divulgação


Comentários