Portugueses criam bola de futebol de cortiça
Portugueses criam bola de futebol de cortiça

Há muito que a aplicação da cortiça deixou de se limitar às rolhas das garrafas de vinho. Utilizada em pavimentos, sapatos e até colchões, esta matéria-prima tipicamente portuguesa vai, agora, "rolar" para o universo do desporto pela mão de uma empresa nacional, que desenvolveu a primeira bola de futebol feita 100% de cortiça natural.

 
  Depois de, em 2010, ter criado a primeira bola de futebol em cortiça aglomerada, a Sedacor - Grupo JPS Cork acaba de apresentar a sua mais recente inovação: uma bola feita de cortiça natural, que a empresa garante ser "fantástica", quer para os que sabem, quer para os que não sabem jogar futebol.
 
Numa nota publicada no seu site oficial, o Grupo JPS Cork explica que a bola foi desenvolvida com recurso "a uma nova tecnologia de agregação de lâminas de cortiça natural", um material que se distingue pelo seu "toque único e suave" e pela "resistência e flexibilidade".
 
Estas duas caraterísticas são, no entender da empresa, determinantes para "produtos de grande exigência física", tornando a cortiça o material ideal para uma bola de futebol, "submetida a esforços como a abrasão", os impactos violentos "e as condições atmosféricas adversas".


Fonte: Boas Notícias. PT (http://vinhos.me/8xALq)
Por Maria da Luz. Fotos: Sedacor - Grupo JPS Cork/Divulgação
OBS.: O título original sofreu modificação e o último parágrafo do texto foi suprimido.

 

Se a indústria da cortiça está em franca expansão, como fica as rolhas das garrafas de nossos preciosos vinhos?

O Vino Emporium fez uma breve pesquisa para entender um pouco mais o emprego dessa matéria-prima. Confira nosso texto e participe com sua opinião!

  Portugal é o principal país produtor de cortiça do mundo.

A cortiça é uma matéria-prima de origem vegetal, é a casca do sobreiro  árvore da família do carvalho.

A primeira extração da cortiça ocorre, normalmente, quando a árvore atinge entre 25 a 30 anos de idade.

Essa cortiça, por vezes com espessura considerável, recebe o nome de virgem e distingue-se substancialmente da cortiça de reprodução extraída nos períodos seguintes  é designada por secundeira na segunda tiragem, e por amadia nas tiragens ou extrações subsequentes.

  A cortiça amadia é a de melhor qualidade, sendo por isso a mais valorizada, e a única que pode ser utilizada para a fabricação de rolhas. A partir desta fase, a cortiça é extraída a cada 9 anos.

A cortiça é empregada como matéria-prima para isolamento, pavimentos e produtos para áreas da construção, moda, design, saúde, produção de energia e indústria aeroespacial.


Fonte: Wikipédia


Comentários