Vinho envelhecido debaixo d'água será liberado ao mercado

Nossa pesquisa atravessou o Atlântico para trazer esta novidade a vocês: vinho envelhecido debaixo d'água!

O método não é nenhuma novidade, mas foi amplamente sofisticado pela Adega Ervideira, com sede no Alentejo, em Portugal.

Duarte Leal da Costa, diretor executivo da vinícola, explica que muito antigamente, na época dos Descobrimentos, quando as naus e os barcos naufragavam, era comum recuperarem garrafas de vinhos depois de algum tempo, e a bebida apresentava melhorias consideráveis em termos de consistência, estrutura e potencial de envelhecimento.

Conservando esta linha de raciocínio, a vinícola investiu na tecnologia de submergir garrafas de vinhos num lago artificial – o Alqueva. O lote escolhido foi o Conde D’Ervideira Reserva 2014, um tinto com Denominação de Origem Controlada (DOC - Alentejo), que recebeu as castas selecionadas de Aragonez, Touriga Nacional, Tinta Caiada, Cabernet SauvignonAlicante Bouschet, e passou, no mínimo, 8 meses em barrica e mais 8 meses envelhecendo nas garrafas, no fundo do lago.

  É bem verdade que o processo de vinificação foi alterado, mas como ainda não há informações da ficha técnica do vinho tão esperado, confira os dados do Conde D’Ervideira Reserva (2009) e tenha uma ideia do quanto mudará!

O lote compreende 30 mil garrafas, que repousa numa profundidade de trinta metros, com ausência total de luz e a uma temperatura constante de 17º C, o que favorece o amadurecimento do vinho.

  Quer saber mais? O Vino Emporium publicou o post do momento que as garrafas foram submersas no Alqueva: Ervideira amadurece vinho debaixo de água.

Quando o lote for recolhido do lago, o vinho será inspecionado garrafa por garrafa, garantindo assim o controle de qualidade.

  O lançamento está marcado para o dia 16 de abril, em Portugal, e os preços oscilarão entre 20 e 28 euros a garrafa, segundo o diretor executivo. A má notícia é que, entramos em contato com a importadora parceira da Adega Ervideira aqui no Brasil e a mesma nos disse que não há previsão de importação do vinho d'água para o país, diferentemente do que ocorre com o rótulo Invisível, um vinho branco vinificado a partir da casta tinta Aragonez. O jeito será aguardar os próximos capítulos...

Fonte: Vino Emporium
Por Eliana Janjacomo. Foto:
Vino Emporium/Arquivo


Comentários