A levedura manipulável que acaba com a ressaca do vinho

Investigadores da Universidade de Illinois desenvolveram um tipo de levedura que possibilita a manipulação do material genético. Podem alterar a propriedade de bebidas. E a sua ressaca.

Ressaca: será que um dia a má disposição típica, consequência de uma noite bem bebida, deixará de existir? Um grupo de Investigadores da Universidade de Illinois diz que é possível, com um novo tipo de levedura criada, cujo material genético é possível de manipular.

“Imaginem uma levedura que produz vinho delicioso e nós queremos saber de onde vem o sabor. Eliminamos um gene, e depois outros, até o sabor distinto se ir embora. Ai sabemos que isolamos o gene responsável pelo sabor distinto.” disse Yong-Su Jin, líder da investigação, numa conferência de imprensa. Ora, isso abre inúmeras portas: agora os cientistas podem brincar com a genética de alguns alimentos e bebidas, melhorando as suas propriedades e sabores. Um dos fatores controláveis é o da ressaca.

Se os cientistas manipularem a levedura de uma certa maneira podem criar uma enzima que ajuda o processo que torna o vinho mais suave. Chama-se Fermentação Malolática. Quando uma Fermentação Malolática não corre como planejada, isso cria produtos que provocam agressivas dores de cabeça no dia seguinte.

Este tipo de levedura, além de terminar com as ressacas como as conhecemos, também torna os alimentos e bebidas mais saudáveis. O grupo de cientistas responsáveis pelo estudo afirmou também conseguir aumentar os níveis de resveratrol, um ingrediente saudável dos vinhos. E podem até acrescentar outros elementos benéficos à comida fermentada, como o queijo e os picles.

Os resultados foram publicados no jornal Applied and Environmental Microbiology.


Fonte: Observador.pt (http://vinhos.me/lpibA)
Por Hugo Amaral
OBS.: Este texto passou por revisão para o Português Brasileiro.


Comentários