​A sustentabilidade da cortiça é outra questão relevante para 50% dos pesquisados
​A sustentabilidade da cortiça é outra questão relevante para 50% dos pesquisados

80% dos internautas paulistanos acreditam que os vinhos nobres exigem a selagem com rolha de cortiça natural

Pesquisa do CONECTA, plataforma web do IBOPE Inteligência, sobre os hábitos de consumidores de vinho em São Paulo indica que o consumidor vê a importância do fechamento proporcional à qualidade do vinho. De acordo com o estudo, se um vinho é fechado com rolhas de cortiça, o consumidor tende a percebê-lo como de maior qualidade em comparação com vinhos com outros tipos de fechamento, como rolhas de plástico ou as tampas de rosca (screw cap). 

Ainda que para os mais jovens exista certa praticidade nas garrafas com este tipo de fechamento, a maioria também considera o vinho selado com rolha de cortiça como de melhor qualidade. Tanto que, segundo a pesquisa, o consumidor está disposto a pagar entre R$ 13,00 e R$ 15,00 a mais por um vinho cuja rolha seja de cortiça natural. O consumidor acredita, inclusive, que ela ajuda a preservar melhor o sabor do vinho. E, para 80% dos entrevistados, os vinhos nobres exigem a selagem com rolha de cortiça natural.

A sustentabilidade da cortiça é outra questão relevante para 50% dos pesquisados, já que se trata de um recurso natural, não poluente e renovável, proveniente da casca que envolve o sobreiro, um tipo de carvalho abundante em Portugal e no sul da Europa, árvore nobre que não precisa ser cortada. 

Consumo – A pesquisa também avaliou o consumo de vinho entre os internautas. O resultado mostra que dois terços dos entrevistados compraram vinho nas duas semanas que antecederam à pesquisa, mesma proporção dos que afirmam beberem vinho, em média, uma vez por semana.

A pesquisa foi realizada em 2014 com 407 internautas, homens e mulheres, de 18 anos ou mais, das classes ABC, residentes em São Paulo.

Fonte: IBOPE (http://vinho.one/6lhs4)
Foto: Divulgação


Comentários