Vinho tinto consegue melhorar a fertilidade. E não é preciso beber muito

Diz a ciência que uma taça de vinho tinto por semana pode ser benéfico para os ovários

Que o consumo moderado de vinho tinto traz vários benefícios para a saúde, a ciência o revelou por muitas vezes, mas, ao que parece, há mais um.

  Uma recente investigação coordenada pela Escola de Medicina da Universidade de Washington, Estados Unidos, defende que a ingestão de uma taça de vinho tinto por semana melhora a fertilidade das mulheres.

Conta a investigação, citada pelo The Independent, que o resveratrol presente no vinho tinto é um antioxidante poderoso, capaz de proteger as células contra o stress biológico, sendo por isso uma mais-valia para os ovários.

Para o estudo, foram analisadas 135 mulheres com idades entre 18 e 44 anos. Cada uma das participantes teve de manter um diário sobre o consumo de álcool e foi ainda alvo de exames de ultrassom regulares para que fosse avaliada a saúde dos ovários. Do estudo foram excluídas grávidas, mulheres com problemas de fertilidade ou que já tinham sido submetidas a algum tipo de cirurgia médica nos ovários.

Depois de cruzarem os dados obtidos nos exames médicos com o consumo relatado no diário, os cientistas norte-americanos foram capazes que detectar que as mulheres que consumiam regularmente vinho tinto apresentavam melhor reserva de ovário, independentemente de outros fatores como a idade ou rendimento.

  Porém, por regular os cientistas entenderam o consumo de uma dose semanal, ou melhor, não mais do que cinco a seis doses (taças) por mês.

Fonte: Notícias ao minuto (http://vinho.one/lzNhE)
Por Daniela Costa Teixeira. Foto: Vino Emporium
OBS.: Este texto passou por tradução para o Português Brasileiro pela Redação do Vino Emporium.


Comentários