Vinhos e espumantes produzidos em Minas começam a ganhar espaço em outros estados
Vinhos e espumantes produzidos em Minas começam a ganhar espaço em outros estados
O que tem atraído a curiosidade de especialistas nacionais é a utilização de um processo semelhante à produção de vinhos internacionais, por causa do clima parecido com o de grandes vinícolas da Europa.

Faz pouco mais de nove anos que o primeiro vinhedo de Minas Gerais foi plantado, permitindo que se produza vinhos no estado. Isso só foi possível após um trabalho de pesquisa feito por produtores de uva em parceria com a Epamig - Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais, que permitiu colher bons frutos na região Sul, em terras tradicionalmente usadas para a plantação de café, a partir da inversão do ciclo da videira.

Para que as uvas tenham boa qualidade e consequentemente gerem bons vinhos, a colheita dos frutos não pode coincidir com a incidência da chuva. O que os pesquisadores identificaram é que as melhores regiões produtoras de vinho do mundo têm as mesmas condições climáticas da região sul de Minas, que são dias ensolarados, baixas temperaturas à noite e pouca chuva.

Mas na época da colheita, normalmente feita em fevereiro e março, é quando mais chove no Brasil. Para fugir disso é que se investiu no processo de inversão do ciclo da videira. Quem explica o processo é o produtor de vinhos Marcio Verrone, que diz ter uma procura muito maior do que consegue produzir com a técnica mineira. “Essa condição climática que a gente consegue fazer no inverno, você consegue atingir esses aromas especiais por causa da diferença de temperatura. Noite fria com dia quente e ensolarado proporciona aromas que só se consegue na Europa. Essa condição nossa para condição de vinho é abençoada”, explica Verrone.

Sete qualidades de uvas se adaptaram bem às terras mineiras, entre elas a Syrah, da região francesa do Rhône; Cabernet Sauvignon e Sauvignon Blanc, de Bordeaux.

A primeira safra de vinhos de Minas Gerais saiu em 2012. A novidade são os espumantes lançados em abril deste ano, feitos com uvas Chardonnay e Pinot Noir colhidas em fevereiro de 2012. Segundo o sommelier Nelton Fagundes, ainda é cedo para falar na qualidade desses espumantes, pois a primeira safra está no mercado.

Vino Emporium  O especialista diz que são vinhos bem feitos, mas cujo maior atrativo é a origem mineira. Ele aconselha a não compará-los com vinhos clássicos e descreve as características de sabor encontradas: “É um espumante típico do nosso país, com notas perfumadas e toque de café”.

O especialista diz que a procura pelas produções mineiras nas lojas tem sido grande devido à curiosidade do público em conhecer a novidade. Mas um fator que pode desestimular a compra é o financeiro.

Atualmente duas propriedades produzem uvas e vinhos na região Sul de Minas Gerais. A capacidade de produção é de 40 mil garrafas por ano. O preço do espumante mineiro gira em torno de R$ 80. 


Fonte: CBN (http://cbn.globoradio.globo.com/editorias/pais/2014/12/27/VINHOS-E-ESPUMANTES-PRODUZIDOS-EM-MINAS-COMECAM-A-GANHAR-ESPACO-EM-OUTROS-ESTADOS.htm)
Por Fabiana Arreguy e Guilherme Ibraim. Fotos: EPAMIG

Comentários