A utilização de rolhas metálicas em garrafas de vinho

A nova tecnologia tem conquistado espaço no mercado, mas levanta dúvidas quanto à sua eficiência

Mauro Marcelo Alves comenta sobre a crescente utilização de roscas metálicas nas garrafas de vinho, substituindo as usuais rolhas de cortiça. Segundo ele, esta nova tecnologia – bem como as rolhas de silicone – é geralmente associada a vinhos de baixo custo, gerando, por este motivo, desconfiança quanto a sua qualidade.

  Vino Emporium explica: Screw cap = termo em inglês que designa aquela tampa metálica de rosquear para fechamento das garrafas de vinhos, e que avaçam na substituição, cada vez maior, das rolhas de cortiça. 

O colunista ressalta, no entanto, que as preocupações são infundadas e que a técnica já está consolidada. Na Nova Zelândia, por exemplo, 70% dos vinhos já são tampados com roscas metálicas, enquanto Austrália, Chile, Argentina e Estados Unidos avançam na utilização.

Alves afirma que as roscas metálicas estão sendo bem aceitas pelos consumidores por conta da praticidade, pois o vinho que sobra na garrafa pode ser facilmente guardado na porta da geladeira, por alguns dias.

  Os defensores da nova rolha argumentam que a vedação da rosca é perfeita. Mas Alves especifica: – Para vinhos brancos, rosés e tintos leves.

Alves alerta, entretanto, que grandes vinhos brancos e tintos podem ser prejudicados pela rosca metálica.

Fonte: Jornal da USP (http://vinho.one/tHfu0)
Por Mauro Marcelo Alves, 
via Radio USP. Foto: Divulgação
OBS.: Este texto foi complementado pela Redação do Vino Emporium, baseado na fala do colunista, em aúdio disponibilizado na fonte.

  Vino Emporium: Leia também o post  Rolha de cortiça agrega valor ao vinho


Comentários