Vinho dos EUA é retirado de circulação na Rússia por conter substâncias nocivas

  O Serviço Federal russo de Defesa dos Direitos dos Consumidores e Bem-Estar Humano Rússia (Rospotrebnadzor) proibiu a importação de três tipos de vinho produzido nos EUA.

O Rospotrebnadzor achou excesso de substâncias potencialmente nocivas nos vinhos Geyser Peak Merlot (tinto seco, produzido por Geyser Peak Winery), Crane Lake Moscato (branco suave, produzido por Crane Lake Cellars) e Gnarly Head Chardonnay (branco meio seco, produzido por Dellicato Family Vineyards).

Os três produtores baseiam-se na Califórnia, principal região vinícola dos EUA.

  Segundo o comunicado oficial da autoridade, Gnarly Head Chardonnay contém ftalatos em quantidade exagerada. Os ftalatos, derivados do ácido ftálico, podem causar danos ao fígado, rins e pulmão, além de prejudicar seriamente o sistema reprodutivo humano. Segundo fontes abertas, os EUA carecem de legislação a respeito do uso destes produtos.

  As amostras examinadas dos dois vinhos restantes mostraram sinais de presença excessiva de bifenazato, pesticida usado por produtores vinícolas para combater pragas como os acarídeos.

Segundo o Rospotrebnadzor, o bifenazato tem um período prolongado de atividade, podendo provocar problemas de saúde ao ser consumido.

Os vinhos mencionados foram retirados das lojas, o controle sobre a sua circulação no mercado russo foi reforçado.

 

Fonte: Sputnik (http://vinhos.me/3HmXB)
Foto: Divulgação


Comentários