Todos os Detalhes

Château Smith Haut Lafitte
Château Smith Haut Lafitte
Château Smith Haut Lafitte
Château Smith Haut Lafitte
Château Smith Haut Lafitte
Château Smith Haut Lafitte
Château Smith Haut Lafitte
Château Smith Haut Lafitte
Château Smith Haut Lafitte
Château Smith Haut Lafitte
Château Smith Haut Lafitte
Château Smith Haut Lafitte
Château Smith Haut Lafitte
Château Smith Haut Lafitte
Château Smith Haut Lafitte
Château Smith Haut Lafitte
Château Smith Haut Lafitte
Château Smith Haut Lafitte
Château Smith Haut Lafitte
Château Smith Haut Lafitte
Château Smith Haut Lafitte
Château Smith Haut Lafitte
Château Smith Haut Lafitte
Château Smith Haut Lafitte
Château Smith Haut Lafitte
Château Smith Haut Lafitte
Château Smith Haut Lafitte
Château Smith Haut Lafitte
Château Smith Haut Lafitte
Château Smith Haut Lafitte
Château Smith Haut Lafitte
Château Smith Haut Lafitte
Château Smith Haut Lafitte
Château Smith Haut Lafitte
  Château Smith Haut Lafitte
  Sede da Vinícola
Bordeaux (França)
  FUNDAÇÃO
1365
  PROPRIETÁRIO
Família Cathiard
  ENÓLOGO RESPONSÁVEL
Yann Laudeho
  NA INTERNET
Clique para visitar
  ÁREA PLANTADA

78 hectares de vinhas.

  PRODUÇÃO ANUAL

Produção controlada por satélite
Os proprietários conseguiram aliar a produção tradicional às novas tecnologias, a começar pelas próprias vindimas: as uvas continuam a ser apanhadas à mão mas é um satélite que indica qual a data ideal para a colheita, medindo por exemplo a temperatura.

“A data das vindimas é muito importante porque tem influência nos taninos do vinho”, explica a guia, acrescentando que é um sistema de vibração que separa as uvas dos ramos e um sistema visual, criado em 2008, que escolhe os melhores exemplares de cada cacho. A explicação parece tirada de um filme futurista e envolve um sistema que tira uma fotografia de cada uva e analisa a sua forma, cor e tamanho “só as uvas consideradas perfeitas continuam o processo do vinho, as outras são retiradas com um jato preciso”.

Mas nada se perde, tudo se transforma. Depois de separados, os ramos são usados para compostagem, as cascas e as sementes (não usadas no vinho branco) vão para a cosmética e até o dióxido de carbono emitido durante a fermentação é transformado em bicabornato de sódio, outro fertilizante.

E em nome da tradição, as vinhas ainda são aradas com cavalos criados ali.

Adaptado de Observador.pt, por Ana Dias Ferreira.

  SOBRE

Château Smith Haut Lafitte assemelha-se a um lobo em pele de cordeiro – no bom sentido. Praticamente tudo aqui ressuma-se em encanto e beatitude bucólica às portas de Bordeaux, mas por detrás das agradáveis fachadas de tabique encontra-se a mesma concentração intensa e o mesmo espírito competitivo que garantiu aos proprietários Daniel e Florence Cathiard lugares na equipe francesa de esqui olímpico e os impeliu para o êxito no mundo dos negócios.

Simplesmente não pararam desde que compraram a propriedade em 1990. Desde o princípio, lançaram-se aos vinhedos, acabando por reorganizar e replantar cerca de 30% da sua propriedade, adotando novas técnicas de viticultura e estabelecendo métodos sustentáveis. Até intitularam esta filosofia de trabalho de Bio-Precision (Bio-Precisão), ou seja, a aliança entre as técnicas mais inovadoras de viticultura e vinificação, e o maior respeito pelos seres vivos: o solo e a vinha.

Este método promove a biodiversidade e o equilíbrio do ecossistema no vinhedo: plantação de sebes, utilização de erva natural e composto orgânico, lavoura por tracção animal para os vinhos brancos etc., além da preservação da diversidade genética da vinha de que resulta a complexidade dos seus vinhos: enxerto de vinhas e seleção de clones, lotes de viveiros e vinhas mãe de porta-enxertos na ilha de "La Lande", no meio do rio Garonne, a curta distância do Château.

Restruturaram também as delapidadas Chais (adegas), construindo uma nova adega, substituindo os antigos tonéis de aço inoxidável por Cuves (cubas) de madeira mais pequenas, criando salas de recepção e renovando todas as instalações.

Em 1995, montaram até a sua própria tanoaria privada (uma de apenas três na região, encontrando-se as outras em Château Lafite Rothschild e Château Margaux), confeccionando manualmente barris especificamente concebidos para os seus vinhos a partir de madeira selecionada por eles próprios entre a melhor floresta de carvalho de França (Tronçais e Nevers).

Entretanto, restauraram carinhosamente a Chartreuse da propriedade, originária do século XVIII, onde vivem e gostam de receber amigos para provas de vinho e jantares privados.

E em 1999, Château Smith Haut Lafitte tornou-se o único vinhedo de Bordeaux a oferecer um hotel e spa de luxo (Les Sources de Caudalie) que exibe a primeira linha existente de cuidados de pele proveniente de grainhas de uva (Caudalie) dirigida pelas filhas de Florence e Daniel.

Passadas praticamente duas décadas, o ritmo alucinante mantém-se. Só nos dois últimos anos, acrescentaram a tecnologia mais recente de lagares e desengace, adotaram a vigilância de maturação guiada por satélite e instalaram um novo instrumento de triagem óptica. É possível ver este último em ação num vídeo no novo site. Esta ferramenta nova em folha apenas seleciona bagos perfeitamente maduros e redondos, o que foi determinante para uma colheita como a de 2011.

No que se refere ao estilo, a nova sala de provas é absolutamente inigualável. Construída para se assemelhar a uma estufa para laranjeiras que outrora se encontrava na propriedade, trata-se de um espaço confortável com poltronas de couro Chesterfield, um armário antigo e escarradeiras em forma de urna com mecanismos de lavagem ativados por pedal. É encantador, mas o "encantador" transforma-se em deslumbramento quando se aciona o botão. Subitamente, o centro do chão de madeira abre-se, revelando uma entrada elegante para a garrafeira, também conhecida por Le Paradis (O Paraíso).

"Esta propriedade remonta ao século XV, e tentamos homenagear esse passado", explica Florence Cathiard. "Mas esta nova adega é subterrânea, por isso, aqui, tivemos finalmente liberdade para explorar totalmente o design contemporâneo". Uma grande parede com iluminação indireta (backlight) apresenta uma imagem extraordinariamente aumentada de uvas, fornecendo uma iluminação inteligente a uma cristalina exposição arquitetural de vinhos, alguns dos quais remontando há cerca de 130 anos. Precisamente o tipo de paraíso que os amantes do vinho almejam! Precisamente o tipo de paraíso que Florence e Daniel nos convidam a descobrir, ao longo de todo o ano, mediante reserva.

Adaptado de France Magazine por Karen Taylor - Washington DC.

  HISTÓRICO

Desde 1365, a casa nobre do Bosque escolheu esta terra para explorar a vinha. Depois, no século XVIII, o escocês George Smith compra a propriedade, batizando o Châteu com seu nome, e exporta seus vinhos em barricas já renomadas para a Inglaterra.

Em 1842, o Sr. Duffour-Dubergier, prefeito de Bordeaux e viticultor apaixonado, herda de sua mãe o Château Smith Haut Lafitte e faz dele um Grand Cru.

No início do século, Maison Louis Eschenauer percebe a qualidade excepcional deste vinho e a distribuição assegurada, adquirindo a propriedade em 1958. Desde essa altura, investimentos significativos foram feitos, incluindo a construção de uma adega subterrânea excelente, que permite levantar ao mesmo tempo mais que 1.000 barricas.

Em 1990, Daniel Cathiard se apaixona pelo vinhedo e se torna proprietário, dando continuidade na promoção deste pensamento nobre: ​​a busca permanente da excelência levou-o a lidar sem problemas com as diferentes técnicas de vinificação moderna e os métodos tradicionais solo vivo, composto orgânico, o retorno para cubas de carvalho de pequeno porte, o envelhecimento sobre as borras em barricas de carvalho...

Sem dúvida, os vinhos tintos elegantes de Smith Haut Lafitte e o buquê sofisticado de seu reconhecido branco em todo o mundo merecem estes cuidados diários.

CONHEÇA OS VINHOS
TEMOS CADASTRADOS
Venha conhecer os vinhos da Château Smith Haut Lafitte com a gente!
Veja as Fichas